top of page

Gatinhos

Eu trouxe um filhotinho de gato para casa. Dei o nome de Xuxa e ela cresceu. Um

dia, teve quatro lindos gatinhos, todos brancos. Além de lindos, nasceram com uma

doença nos olhos. Eram remelentos e não abriam. A veterinária disse que se não

cuidássemos, seriam cegos para sempre.

Mamãe sempre detestou gatos, não quis nem ver as criaturas remelentas. Quem

cuidava deles era a empregada baiana, que morava no quintal do sítio.

Um dia, fui direto do colégio para casa de uma coleguinha. Dormi lá. No dia seguinte

voltei para casa. Fui correndo ver os gatinhos. Não os achei; procurei em todos os

cantos e nada. Encontrei a Xuxa triste em um cato. Perguntei a empregada onde

estavam os bichinhos. Ela disse não sei. Achei estranho. Insisti e ouvi o mesmo não

sei. Desconfiei.

Saí correndo rezando que minhas suspeitas fossem falsas. Procurei, procurei muitos

os gatinhos. Nada, só a Xuxa triste. Então encontrei a filha da empregada, triste

também.

Ela me contou que a mãe fizera uma fogueira na noite anterior. Jogou cada um dos

gatinhos dentro. Eles queimaram e o cheiro da noite foi horrível.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Borboleta

Hoje entrou uma borboleta azul na sala da minha casa. Ajeitou-se em um canto alto da parede e começou a falar. Disse que o medo é uma espécie de freio que não nos deixa sair do lugar. Em caso de desci

Calçadão

Saí do mar às dez da manhã e fui me trocar no calçadão, onde minha bicicleta estava estacionada. Depois da natação, iria encontrar minha filha na pracinha e detesto ficar de biquini molhado. Notei que

Primeiro amor

- Vou te contar um segredo, não conta para ninguém? - Claro que não. - Estou gostando de alguém. - De quem? - Segredo nosso? - Prometo! - Eu gosto do Nelsão. A menina tinha seis anos. Nelsão, quarenta

Comentarios


bottom of page